fbpx

Os pescadores do rio Limia terão o seu primeiro refúgio em Bande

Os pescadores e caminhantes do Lima, na freguesia de Nigueiroá de Bande, têm um abrigo renovado onde se podem refugiar das condições meteorológicas. A directora geral do Património Natural, Belén do Campo, acompanhada pela presidente da Câmara Municipal de Bande, Sandra Quintas, deslocou-se esta semana a Ponte Soutelo para ver o resultado do trabalho no refúgio fluvial onde o Ministério Regional do Ambiente, Território e Habitação investiu 40.000 euros como parte do projecto europeu “Fronteira Esquecida Limia-Lima”.

O objectivo desta acção é aumentar o valor da bacia do rio Lima e promover actividades desportivas e turísticas no Parque Natural da Baixa Limia-Serra do Xurés. A remodelação consistiu em melhorar o estado e a recuperação da cabana que, para além de ser utilizada como refúgio por aqueles envolvidos na pesca fluvial, é também um marco turístico na rota paralela ao rio Lima.

A remodelação tem sido bem recebida pelo colectivo de pescadores. Há algumas semanas, o Club O Peixe de Bande agradeceu ao Conselho pelo interesse demonstrado na recuperação do abrigo e confessou ter ficado agradavelmente surpreendido com a qualidade dos materiais e o tempo necessário para completar o trabalho. “Embora do Clube tenhamos tentado mantê-lo o mais limpo possível, tal reabilitação era impensável para nós devido ao custo económico”, disse Rafael Serrano, presidente de O Peixe, que salientou que a partir de agora será utilizado tanto pelos pescadores quando o tempo não for favorável, como como um local de recreio e encontro. “Tentaremos fazer dela um ponto de informação para tudo o que está relacionado com a reserva e toda a fauna que vive no rio e nas suas margens”, disse.

Rede de percursos pedonais

Ponte Soutelo é o único refúgio de pescadores do município e a sua remodelação será uma atracção em si no quadro da valorização da zona através da Fronteira Esquecida. Este projecto inclui a restauração, pela Confederação Hidrográfica de Miño-Sil, da ponte junto à Ponte Soutelo, que se encontra num estado “muito perigoso”, bem como o arranjo de um caminho desde a ponte até Barxés, completando a rede de caminhos que, no município de Muíños, delimita toda a albufeira de As Conchas.

Fontes:

Antes

Después

Scroll to Top